quinta-feira, 2 de junho de 2011

No ar: o indefinido

O "Indefinido" que me cerca e mexe com minhas incertezas. Fecho-me para o mundo, escondo o que penso; nada ainda está formado.

Julga-se o que é dito. Julga-se o que não é dito - como se portar, então?

Como se cada fração se perdesse ao passar dos segundos e não pudesse olhar para o chão e ver quantos fragmentos ali jazem.

Páginas cheias de palavas que não compreendo mais; sons que formam estrofes que não embalam mais os meus sonhos.

Vácuo nebuloso que me cerca e me cega - redor inatingível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Delire...