terça-feira, 21 de abril de 2015

~~ just thoughts that came from a fever

Sempre brinco que ser diferente parece beirar à desobediência civil: ser diferente é escancarar que aquilo que se submetem não é ~ ou pelo menos, não DEVERIA ser ~ necessário. Ora, já cheguei a  ouvir que "se todos fôssemos mais alternativos morreríamos de fome". Morreríamos mesmo?



- "alternativo" é um termo utilizado amplamente esquecendo-se, por vezes, que ele é relativo à norma; ora, isso nos leva ao problema de definir a normatividade. A normatividade cultural está em crescente processo de mudança, vivemos em um processo de constante adaptação de novos padrões vigentes. A norma é algo quase utópico, feita para que apenas alguns indivíduos possam alcançá-la (isto está intimamente ligado ao papel instrumentalista da norma nos processos de dominação). Suponhemos, assim, que existem normas e que aqueles que não às seguem são "diferentes", "alternativos", etc.


- tomo uma certa liberdade com o termo "desobediência civil" de Thoreau: acredito que qualquer ação consciente de desobediência das normas impostas aos civis (maior parte da nossa população) poderia trazer aspectos revolucionários e de protesto. Vide que não  falo em 'leis', mas em 'normas': as leis também são normas, mas outras tantas normas advêm do tradicionalismo, da hierarquia familiar, da religião, etc; particularmente, normas são instrumentos de segregação que visam dominação. Ora, se as normas são instrumentos de dominação, não cumprí-las conscientemente é, de certa forma, ir contra a dominação.

Entretanto, o sistema de dominação que sustenta a Humanidade (sim, ousarei generalizar para toda a Humanidade, pois sociedades que são baseadas em algum tipo de dominação são, infelizmente, a esmagadora maioria das conhecidas até hoje e generalização é importante para esclarecer o ponto de teorias sociais) é tão bem construído que quando desobedecemos somos segregados e oprimidos: tiram-nos a voz, o poder sobre nós mesmos, nossas escolhas.


Quando digo que alguns atos apenas "beiram à desobediência civil" refiro-me aos atos não completamente conscientes, porém, que incomodam tanto aos seguidores da norma, que acabam cumprindo seu objetivo.

Mas isso pode ser só uma alucinação da febre, então apenas continuemos desobedecendo!