sábado, 16 de junho de 2012

-----//-----

No lábio cortado vejo um sangue seco, ultrapassado, lembrando da noite que não deveria ter existido. Numa sensação de destruição, penso no quão confusas têm sido minhas ações. Será que minhas escolhas seguiram o mesmo caminho?

Arrependimentos que não exigem culpas não-ditas procuram espaço para brotar, mas não conseguem. O solo está infértil agora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Delire...