quarta-feira, 18 de abril de 2012

Personagem

Na ponta da língua que passa eu meu pescoço, sinto o calor de seu gemido sussurrado. Já havia passado, já havia sentido. Há quanto não o via mais?

Na ponta da língua que passa em meu lombo, sinto as mãos que me tocam a coxa. Agora reproduzia, o que na hora sentia. Há quanto não sentia mais?

Na ponta da língua que passa em meus lábios, sinto o gosto doce da saliva fria. Projeto o toque que não está lá, mas que um dia espero estar. Resta quanto mais?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Delire...