quinta-feira, 3 de novembro de 2011

....

Minha curiosidade se estende a tantos assuntos quanto os existentes no pensamento humano ao longo dos séculos. Talvez por isso tenha sido tão difícil escolher meu curso da faculdade. Como unir Cinema, História, Literatura, Matemática, Física, Biologia... tudo ao mesmo tempo?

Já me falaram que quero abraçar o mundo. Quero mesmo. Decisões excludentes são tão complicadas!

Enquanto cursava Filosofia, novos interesses surgiam: Política, História da Filosofia, Ética... Acabei optando por tratar a política... Mas isso nunca pareceu ser o suficiente. Além da tensão de conviver com PROBLEMAS e mais PROBLEMAS, não sentia que estava realizando algo.

Foi quando comecei a estudar Lógica... Pesadelos com símbolos lógicos sendo cravados em meu corpo, noites e mais noites em claro tentando entender como aquelas ferramentas funcionavam. O desafio era tão grande que afetava meu ego.

Como as coisas da vida passam, aquilo passou. Mas continuava intrigada. Escrevia minha monografia em política e estava quase terminando o curso quando descobri a Lógica Modal. Que coisa linda! Senti, de repente, vontade de escrever uma música!

A Lógica, então, passou a ter graça, a me dar um chão firme para pisar e a me encantar. Sentia-me seduzida por aquilo que começava a compreender e com as dimensões que me eram apresentadas. Foi como se um novo mundo de possibilidades onde muito o que me interessava surgisse diante dos meus olhos e inundasse minha mente.

Foi o ponto mágico que determinou novas escolhas para minha vida. E ao qual eu recorro quando me sinto triste. Nada me anima mais, hoje em dia, que estudar lógica. Por tudo isso, sou apaixonada por ela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Delire...