domingo, 18 de setembro de 2011

Serenidade


Fotos, vídeos, textos, músicas, dança...

Qualquer manifestação do meu eu mais íntimo soa-me como uma invasão de um corpo que ainda não realizou sua revolução anarquista.

Talvez seja incrível como podemos ser tão duros e inflexíveis ao mesmo tempo que somos tão serenos e vulneráveis.

Quando meu amigo clicou essa foto, sentia uma mistura de timidez e vergonha, modéstia e insegurança.

Entretanto, ao final: gostei do resultado. Mostrou-me um lado que não conhecia de mim mesma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Delire...