quarta-feira, 21 de abril de 2010

Trabalhar em uma livraria...

Tem algo mais perfeito para um amante das páginas delirantes que trabalhar em uma livraria?

Nos meus íntimos delírios, trabalharia em uma pequena livraria em alguma cidade bem romântica, cercada de gatos e pilhas e mais pilhas de livros.

Meus clientes seriam caricatos: como que se tivessem acabado de sair de um filme ou saltado das páginas de um romance clássico. Alguns se pareceriam com detetives, outros, com náufragos.

Uma coisa uniria a todos: a paixão pelo mundo imaginário. Aquele mundo imaginado, que encanta e existe apenas virtualmente.

Às vezes me pego me imaginando na livraria da Audrey em Funny Face. Doce ilusão que pinga nos lábios e segue até a mente.

Hoje em dia trabalho em uma grande livraria onde muito do que acredito pode ser posto em prática.

Tocar e estar perto dos livros, dos filmes e das músicas que fazem o mundo ser como é hoje ainda me parece extraordinário.

Todos os dias aprendo algo novo, todos os dias me impressiono com algo que não sabia sobre mim mesma.

E todos os dias acordo e me pego pensando: não posso me tornar a louca dos gatos cuja única companhia, além da desses animais misteriosos e sedutoes, seria a arte.

E às vezes me pergunto: se terminasse assim, seria todo ruim?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Delire...